๋•TERMOS DE USO ๋•

Termo De Responsabilidade

Todos os links e arquivos que se encontram no site ,estão hospedados na própria internet, somente indico onde se encontram.

A troca de mp3 no Brasil não é crime como muitos pensam, o que é crime, é a venda de mp3 sem dar o devido direito ao autor.

Apenas promovo a troca de CD´s e mp3 assim como emprestar um CD para alguém.

Ao Clicar em "Prosseguir", você estará aceitando que tem total conhecimento que o site não está cometendo crime algum e qualquer desrespeito é de única e exclusiva responsabilidade sua que vier fazer mal uso dos MP3's.

๋•CONTATO ๋•

Contato MSN: j.pms.2@hotmail.com

๋•CONTADOR INTER ๋•

free counters

๋•ESTÁTISTICAS ๋•

๋•ARQUIVO DO BLOG๋•

๋•BEM VINDOS ๋•


SO QUEM É DE LA

Fênix pousou no Distrito Federal e bons ventos sopraram na noite de sábado, 09 de outubro. O estacionamento do estádio Serejão, em Taguatinga/DF, foi abençoado e não choveu. Mesmo num período do ano em que o Distrito Federal sofre com chuvas, e o que o público encontrou foi um céu cheio de estrelas e no palco as estrelas da música preta brasiliense.

Os DJ’s Junior Killa, Celsão, Marola, Jean e Ocimar fizeram as honras e prestigiaram os presentes com clássicos do rap nacional e internacional. Tudo isso para aquecer o público para os músicos convidados comandarem a festa até os últimos minutos do alvará de uso comum do estacionamento.

Que festa boa!

Uma galera sossegada e ainda não acreditando no que ia acontecer naquela noite. O relógio marcava 1h25min, precisamente no horário previsto, subiu ao palco Viela 17 e Sobreviventes de Rua para representar a forca do rap brasiliense. Japão dispensa comentários, comemorando os seus 20 anos de carreira parecia que tinha descoberto o rap naquela noite de tão feliz que estava. Comandou o público com clássicos, releituras e musica novas, entre elas “Ah Tá”, que foi lançada com exclusividade aqui no Portal Rap Nacional. Esse foi um show marcante e logo em seguida veio o Oitavo Anjo.

Dexter chegou com força máxima! Ele faz parte de um time de peso, onde só os fortes sobrevivem. Lúcido, maduro, feliz com o seu recomeço e com toda perseverança, me fez perceber algo que há muito tempo não encontrava no rap nacional: humildade.

Dexter, a Fúria, chegou e arrebentou. Cantou todas as músicas que o público esperava e nos presenteou com um cover de “Diário de um Detento”, dos Racionais MC’s

O programa “Evolução HipHop” de hoje (23), que vai ao “AR” ao vivo às 17h, na Educadora FM 107.5, terá como entrevistado o rapper mineiro RENEGADO, que na oportunidade apresentara duas músicas inéditas que integram o seu novo álbum que será lançado em breve, a música “Na Palma da Mão” e “Irmã da Esperança” tocam com exclusividade no Evolução HipHop. Ainda na edição de hoje teremos um bate-papo com Chico Assis, diretor do Cine Teatro Solar Boa Vista, espaço que sedia a 3ª FEAP – Feira Engenho das Artes Populares, que teve inicio no dia 22/10, o ultimo dia 24/10 (domingo), é dedicada a cultura hiphop

O aniversário de 9 anos do sarau da Cooperifa foi simplesmente uma noite cheia de magia, e um dos mais belos momentos que tivemos, neste nove anos de atividades poéticas na periferia de São Paulo. Ah, se existisse um Alegrômetro…

Centenas, centenas e centenas de pessoas de todas as cores, dores e lugares se espremeram no bar do Zé Batidão para ouvir e falar poesia, falando nisto, só de poeta tinha mais de setenta, e olha que ficou gente sem falar. Foi uma das poucas vezes que tivemos de estourar o horário, mas valeu a pena.

Sabe o que me ocorreu vendo toda aquela multidão dentro e fora do bar? “Como é que pode um Sarau de Poesia, no extremo sul de São Paulo, numa quarta-feira, reunir mais de 400 pessoas em torno da literatura, ué, não dizem que o povo não gosta ler? Eu explico: é o milagre da poesia.

Não vou citar nome de ninguém (veja as fotos) para não cometer o erro de esquecer algum nome, mas acho que quase todo(a)s as nosso(a)s amigos estavam lá para curtir com a gente este dia triunfal da poesia e da resistência cultural. “Queria ter dois corações. Um para amar, o outro também.”

Bom, e como a gente gosta de praticar aquilo que fala, e não temos o rabo preso com ninguém, e não ficamos pagando de pseudo-revolucionário, no meio do sarau fizemos um ato pró-Dilma, o bagulho foi louco, todo mundo decidiu que no dia 31 vai inverter o número, e votar 13.

Sabemos que neste momento crítico de eleições é muito mais fácil se esconder, ou fingir que a briga não é com a gente, mas ficar neutro nunca foi a nossa cara. Não está apenas em jogo as eleições, e sim o futuro do país. Neutralidade é omissão. É por isso que temos amigos, e inimigos também. Temos todos os defeitos do mundo, menos a covardia.

Queria só avisar as centenas de pessoas e os quase 70 poetas que estiveram presente no aniversário de 9 anos da Cooperifa: “esta noite nunca existiu, foi um sonho que a gente teve.”

É só progresso.

Não posso fazer nada,

Sérgio Vaz

Vira-lata da literatura, 9 anos mais velho

O Portal RAP NACIONAL traz com exclusividade umas das músicas que fazem parte da MIXTAPE “O JOGO” do DJ Bola 8.

O som é “Titular Entre os Monstros” do grupo Ordem Própria.

Bem ao estilo gangster Daniel , manda idéias pesadas “ Eu canto pra favela não pros caras do rap” …. “Eu falo da guerra por que não vejo a paz”… “Ordem própria no braço não é tatuagem de renda” .

Rimas fortes, batidas pesadas do começo ao fim e um refrão que fala alto no coração de quem ama e respeita o rap nacional.

“Só mostro pique mafioso titular da seleção das ruas vim aqui pra provar. Só mostro o rap vive eu vivo, no rap aqui não tem moleque então vamos jogar “

Essa é uma amostra do que vem por ai, o grande show de lançamento da MIXTAPE “O JOGO“ será dia 18 de dezembro no Club da Ford e vai reunir no mesmo palco mais de 20 grupos de Rap Nacional.

Em breve vamos trazer mais noticias sobre esse grande show que vai movimentar o cenário do rap e também a agenda de shows do Ordem Própria.

ESTAMOS DE VOUTA
BLOG
ATIVO ATUALIZAÇÃO SEMANAL

O MC Moskitto é mais um rapper que esta chega para somar no Rap Nacional direto das ruas de Itaquaquecetuba, região metropolitana da capital paulista para o mundo .

Moskitto se apresenta como mais um loko ANTI – SISTEMA, com o propósito de mostra as suas ideias, o mundo em que vivemos através de suas rimas.

Com letras que mostram a realidade e contam um pouco das histórias de grandes revolucionários, o MC fala também sobre a real situação das favelas do ponto de vista de quem nasceu e vive dentro de uma comunidade carente.

As influências que ele carrega vêem dos parceiros que estão lado a lado nos corres do dia-a-dia, lutando na mesma guerra contra tudo aquilo que o sistema oferece para nossa autodestruição.

O primeiro disco do MC será lançado em breve e terá participações de grupos da quebrada onde ele mora, valorizando cada vez mais os manos que estão espalhados pelas periferias do país fazendo a revolução longe dos holofotes.

Mais para mostrar que MC Moskitto não está de brincadeira o Portal RAP NACIONAL lança em primeira mão o vídeo clipe da música ” Angustia”, que foi gravado nas ruas de Itaquá, pelo Borracha Studio.

Para quem vive na Selva de Pedras que é São Paulo, hoje tem uma grande oportunidade para aliviar o estresse e ouvir uma ótimas poesias. A partir das 19h, no Itaim Paulista, será promovida mais uma edição do Sarau Suburbano Convicto. A apresentação é feita por Alessandro Buzo e a convidada da noite é Elizandra de Souza. O Projeto Marginaliaria também se apresenta com uma junção de poesia, música e teatro.

Que Tim Maia é um dos mais importantes artistas da música brasileira, todo mundo já sabe. Que ele influenciou e ainda influência muito no rap nacional, também não é novidade. Tanto que o mais importante grupo de rap do Brasil tem o nome de Racionais, graças ao disco Racional, lançado por Tim Maia em 1975. A grande novidade é que o Dj João Brasil inovou ao lançar um disco onde mistura Tim Maia com rap nacional. “Tim Maia é um dos grandes ícones da Black Music brasileira e o álbum Racional é um dos meus favoritos. Achei que tinha tudo para dar uma boa mistura”, comenta João Brasil.

Esse tipo de mistura é chamada de “mashups” e consiste na união de duas ou mais músicas diferentes em uma só. João Brasil é especialista em “mashup” e sem medo de ousar mistura de tudo: lambada, funk, tropicália, rock, rap, entre outros estilos musicais. João iníciou na vida artística tocando bateria em bandas de rock e aos 16 anos começou a tocar violão, cantar e compor. Dois anos depois produziu seu primeiro disco, com a banda Boi Zebu, onde assinava todas as faixas do álbum. Atualmente, o jovem carioca mora em Londres, mas o interesse pelo rap brasileiro começou quando ele ainda transitava pelas ruas do Rio de Janeiro. “Meu primeiro contato com o rap nacional foi com a cena carioca. Ouvi muito o primeiro CD solo do Marcelo D2, que tinham vários convidados como o Bnegão e Speed. Depois ouvi o Sobrevivendo no Inferno dos Racionais, fiquei viciado nesse disco, ouvia o dia inteiro. Nessa época a MTV tinha o programa Yo MTV Rap que passava muita coisa de rap nacional também.”

O disco “João Brasil presents Rap Racional” tem 12 faixas. Para começar com pé direito, a primeira música é do Racionais MC’s. Na sequência o mestre do Canão, Sabotage, empresta sua voz a faixa “Dever De Fazer Propaganda Desse Compromisso”. Esse som é uma versão da música “Cultura”, onde Sabota manda um salve para o Portal Rap Nacional. Participam ainda do disco : Marcelo D2, Mv Bill, Marechal, Emicida, Rappin Hood, Mamelo Sound System, De Leve e para fechar, Inquérito na faixa “Mister Paz”

A produção do álbum não foi nada fácil, já que João Brasil teve dificuldades em encontrar versões a capela de rap’s nacionais. “Essa foi a parte mais difícil. Pedi as acapelas para vários rappers brasileiros para fazer esse projeto, via twitter e facebook. Ninguém me mandou nada. É muito difícil achar acapelas de rappers nacionais na net. As vozes dos gringos você acha aos montes. Só o De Leve colocou todas as dele para baixar com os BPMs e tudo mais. Procurei muito e achei uma acapela dos Racionais, depois duas do MC Marechal ao vivo. Fui escolhendo artistas que gosto e testando as músicas para ver quais que davam mais certo”.


João Brasil garante que pretende desenvolver mais trabalhos com o rap nacional, mas para isso faz um apelo aos rappers. “ Peço mais uma vez que os rappers nacionais disponibilizem suas acapelas. Isso só vai fazer a cena crescer”.


O Portal Rap Nacional disponibiliza a você o download completo do disco“João Brasil presents Rap Racional” e também a opção de ouvir e baixar cada faixa. Trazemos também outros “mashups” feitos por João Brasil, entre eles: Jorge Ben, Mano Brown, Daniel Ganjaman, Zegon, Buzybwoy X Skank, na música Uma partida de Umbabarauma, Roberto Carlos X Marcelo D2 em Amigo Skunk e Emicida X Jay-X em Moment of Emicida.

Quem esteve presente no último domingo (10) em Campinas pode presenciar um grande show de rap nacional.

O show Dexter e Convidados reuniu no mesmo palco grandes nomes do rap.

E o Portal Rap Nacional apresenta mais um pouco do que foi essa grande festa.

Neste Domingo dia 17 a partir das 15h, haverá o encerramento do Projeto de Hip Hop: “A Arte resgatando Vidas”, provido pelo “Instituto Acesso Popular” e Secretaria Municipal de Cultura de Bauru/SP.

O evento contará com o Show Ao Vivo de BASTARDO SNJ, que fará sua apresentação ao lado de seu companheiro de grupo, o DJ W.Jay.

Além do rapper, o evento terá como convidados: Dom Black, D’Quebra, DJ Gorpo

Domingão dia 17 tem um evento que promete agitar o interior paulista a Quadrilha AFP apresenta o 2º Rap na Quebrada, que vai reunir grupos que estão chegando no rap nacional para fortalecer : AMC Rappers, Relatos da Favela, Skema, Infaria do Rap.

Agora é só comparecer no evento e prestigiar esses novos grupos que estão fazendo a diferença pelo interior paulista.

Um dia inteiro de festa para as crianças, distribuição de brinquedos, sorteio de bicicletas e shows ao vivo para a comunidade em geral. Essa é a festa das crianças do Jardim Brasília que será promovida pelo rapper Ndee Naldinho, no dia 23 de outubro.

Os que gostam de rap poderão conferir shows com: Edi Rock (Racionais Mc´s),A Familia, Ar2, Justiça Criminal, Shallom Mc´s,Ordem Própria, Manos Mc´s, Osmir, Nego Wilha e Duck Jam e Nação Hip Hop.

A festa deste ano terá ainda um convidado muito especial. MC Caun irá se apresentar para a molecada do Jardim Brasília. Para Ndee Naldinho ter uma criança se apresentando para a molecada tem um significado muito importante. “É sempre um prazer e enorme satisfação ter todos esses amigos e artistas aqui na nossa festa, mais o Cauan é criança cantando em festa de criança,vai ser muito bom pra todos nós¨, afirma o Preto do Gueto.

Mas na festa do Dia das Crianças não só o rap fará a alegria da comunidade, haverá show de reggae com banda Damata,samba enrredo com Escola de Samba Unidos de Vila Maria, pagode com os grupos Um só Ideal, Cecéu Muniz, Cleverson Luiz e Só Sintonia.

Os carros lowriders vida loka da Vila Fundão e a a equipe Black Mad, comandada por Mauricio, também já confirmaram presença e prometem deixar a festa ainda mais louca.

A apresentação será feita por Nuno Mendes da rádio 105 FM.

Quem quiser participar dessa grande confraternização é só chegar, já que é tudo grátis. A festa rola no próximo dia 23, a partir das 15h, na avenida Deputado Cantidio Sampaio, emSe vc tambêm quer curtir essa festa é só chegar,é tudo grátis.

Local: Jd. Brasília, altura do Nº 6000 da avenida deputado cantidio sampaio, próximo ao número 6000, Jardim Brasília, zona norte de São Paulo/SP.

Mais informações podem ser obtidas através do telefone (11) 9769-2705

Apesar de muita gente torcer o nariz, o rap nacional está conqusitando seu espaço nas mais importantes casas noturnas. Em São Paulo, o rapper Pixote promove uma noite de rap nacional na Black Bom Bom, sempre na última terça-feira do mês. O grupo Facção Central foi a atração do mês passado e a notícia gerou tanta polêmica entre os internautas do Portal Rap Nacional, que Eduardo chegou a enviar um comunicado para acalmar os ânimos dos fãs.

No mês de outubro, os convidado de Pixote são o grupo Realidade Cruel e Sandrão, do RZO. As pick-ups serão dominadas por Dj King e Dj Kl Jay que semprem mandam muito rap nacional de primeira. O locutor Fábio Rogério será o apresentador da noite.

A festa será no dia 26 de outubro. Os ingressos custam R$ 20,00 e as mulheres não pagam até a meia-noite.

Relatos da Favela




Chegando para somar no Rap Nacional.

O grupo Relatos da Favela foi fundado em 2003 na favela Santa Cruz em São José dos Campos – SP.

O grupo surgiu da união de vários rapper do interior paulista que resolveram se unir e formar mais um elo da corrente, representando o interior na cena do Rap Nacional.

O grupo é formado por Tico, China, Morrama e DJ Neno.



Sobre a origem do nome Relatos da Favela (R.D.F.) foi escolhido por refletir bem a ideologia do grupo que é denunciar, protestar através de suas letras fortes e realistas, as desigualdades sociais que as pessoas das periferias do Brasil sofrem, por causa desse sistema perverso e desumano em que o país vive.

Bloco9 e o Cep Sujo


O Projeto Bloco9 surgiu com a necessidade de escrever algo onde eu pudesse desabafar, falar de mim, falar de situações de nosso cotidiano, relatar os problemas de ordem social que acontecem com nosso povo, e que para nós, nossos governantes jamais iriam prestar contas ou na melhor das hipóteses tentar reverter o mímino que seja o impacto causado pela desordem política e falta de boa vontade para administrar as questões sociais pendentes de nosso País. Descontente com todo esse cenário, decidi colocar nas ruas o single “Cep Sujo” o nome estabelece uma analogia entre Cohab Perus, nosso bairro e seu contexto de esquecimento pelas autoridades públicas além de sua localização periférica acentuada, por ser geograficamente o último bairro da zona oeste da capital paulista.

O single “Cep Sujo” tem produção totalmente independente, tiragem inicial de 600 cópias que serão distribuídas gratuitamente nas ruas de SP.

Foi gravado, mixado e masterizado no Estúdio Untitled, onde a produção e direção musical ficou sob responsabilidade do Projota que também foi o beatmaker escolhido para a realização deste projeto.

Toda a parte de manuseio, como a duplicação, encarte, numeração e envelopamento é artesanal, atribuindo a cada uma de suas cópias um toque único, trabalho realizado pelo próprio rapper com muita dedicação e empenho.

 

joao paulo total drama 0 comentários

ARTE DA FAVELA















 

joao paulo total drama , 0 comentários

Dum Dum lança música nova



O integrante do Facção Central, Dum Dum, acaba de lançar sua segunda música solo exclusiva aqui no Portal RAP NACIONAL. “A Vida Ensina”, título do single que disponibilizamos logo abaixo, é uma música totalmente diferente do que estamos acostumados a ouvir nos discos do Facção Central, escute, baixe e deixe sua opinião nos comentários:


Sobre Dum-Dum

Washington nasceu em São Paulo em 1969 e conviveu com uma infância pobre. Começou a trabalhar cedo, com os onze anos, entregando jornal. Como o emprego não rendeu o esperado, ele resolveu ser peixeiro, profissão na qual exerceu até os 17 anos, quando ingressou em uma empresa de fotolitos, que faliu.

Washington – que na época já havia recebido o apelido de Dum-Dum, colocado por sua avó em um personagem negro de gibi – decidiu, então, entrar para o mundo do crime,[1] como traficante, e também usuário de maconha e cocaína. Foi preso pela primeira vez aos 27 anos.[1] Dum-Dum ficou três meses na cadeia, durante os quais sua filha nasceu, até ser absolvido por falta de provas.

O primeiro contato de Dum-Dum com o rap aconteceu em um show do grupo Racionais MC’s, o principal do Brasil neste estilo, e foi quando o ex-presidiário decidiu virar cantor.[1] Segundo palavras do próprio, “Se não fosse o rap eu não estaria vivo”. Entrou para o Facção Central em 1998, quando o grupo já contava com três integrantes, e mantém-se no mesmo até hoje, com a produção de oito trabalhos.

Celso Athayde entrevista Mandrake


O rapper e empresário Mandrake é o destaque da semana no Porradão de 20, seção de entrevistas publicadas semanalmente no site de Celso Athayde. A cada sete dias duas personalidades são convidadas a soltar o verbo e responder perguntas contudentes. Ao lado de Mandrake está Luciano Huck, apresentador da Rede Globo e um fenômeno no twitter.

Pra conhecer um pouco mais, saber o que pensa e como vive o fundador do “mais importante veículo de comunicação do hiphop”. Confira a entrevista abaixo:

Quando você resolveu trabalhar com o rap comercialmente?


A minha intenção nunca foi ganhar dinheiro com o rap. Eu criei o PORTAL RAP NACIONAL para divulgar o movimento, dar oportunidade para que os grupos pudessem mostrar o trabalho que desenvolvem e informar a galera sobre os shows que rolavam. Com o passar dos anos o blog se tornou um Portal e cada vez mais está crescendo e se profissionalizando. Para nos mantermos no mercado e fazermos um trabalho de qualidade, como o público do rap merece, temos vários custos. Precisamos de bons computadores, conexão rápida com a internet, máquinas fotográficas e profissionais qualificados. Por este motivo, não podemos fazer tudo de graça. Há vários espaços no site que são gratuitos. Mas, também temos espaços publicitários, assim como todo veículo de comunicação. Esse dinheiro é usado principalmente para manter o site. Para sustentar minha família eu trabalho como editor de artes em duas empresas, um jornal diário e uma editora que produz três revistas por mês. Eu não vivo com o dinheiro que entra no portal.

Qual é o melhor site de rap do Brasil? Por quê?

O Portal RAPNACIONAL. E, não é porque os outros não são bons, todos têm feito um belo trabalho. Mas, com muita dedicação nós conseguimos atingir um nível diferenciado. Temos o melhor e mais amplo conteúdo, entrevistas exclusivas, videoclipes em primeira mão, músicas inéditas para download, entre outras informações que são atualizadas 24h por dia. Eu afirmo, categoricamente, que o Portal RAP NACIONAL é hoje o mais importante veículo de comunicação do hip hop, não só na internet. Prova disso, é o fato de grupos e artistas já consagrados no cenário nos procurarem para divulgarmos os novos trabalhos. Já faz tempo que todos os lançamentos passam primeiro pelo RAP NACIONAL e isso tem incomodado muita gente.

Quem é Mandrake?

O Mandrake é um cara que acredita no rap e que vive isso 24h por dia. Que ama muito a família que construiu e descobriu que ser pai é a maior realização de todas. É também uma pessoa que não fica sentada vendo a vida passar. Corre atrás de cada objetivo, porque aprendeu cedo que toda vitória é feita de obstáculos

Sobre Mandrake.

Mandrake nasceu Willian de Souza Domingues, na periferia de Osasco, Grande São Paulo/SP. Ainda muito cedo, o jovem de família humilde, descobriu que o rap é sua grande paixão.

Paixão que se tornou inspiração e profissão. A 10 anos, fundou o Portal Rap Nacional (www.rapnacional.com.br), que é hoje o mais importante veículo de comunicação do hip hop na Internet. O Portal tem mais de 25 mil visitas únicas por dia, mantém parceria com as mais importante empresas ligadas ao hip hop e conta com o apoio dos grandes grupos do rap nacional.

Através do Portal Rap Nacional Mandrake revolucionou a forma como os grupos divulgam seus trabalhos. Hoje, é possível que um grupo desconhecido, atinja o público do Brasil inteiro e até de outros países com a divulgação feita no Portal.

O sucesso do Portal Rap Nacional rendeu frutos. Mandrake fundou também a Tv, Loja Rap Nacional e agora está trabalhando em cima da revista RAP NACIONAL.

E a correria no rap não pára por aí, Mandrake integrou o grupo Hórus, que lançou em 2008 o álbum “Sequela das Lágrimas de Sangue”. O álbum tem 18 faixas e várias participações de peso, onde Mandrake fez RAP ao lado de Dun Dun (Facção Central), Douglas (Realidade Cruel), Moysés, Paulo e Reinaldo (A286), Pregador Luo (Apocalipse 16), Rei (Cirurgia Moral), Erick 12 e Ton Carfi.Produções de Dj Raffa, Erick 12 e Edi Rock (Racionais).

Mandrake também é um dos escritores do livro “Pelas periferias do Brasil Vol II”

Desde 2003 Mandrake é o responsável pela auditoria do Prêmio Hutúz, que é a maior premiação nacional e latino-americana do hip hop. O Hutúz é promovido todos os anos, no mês de novembro, na cidade do Rio de Janeiro/RJ, pela Central Única das Favelas (Cufa).

Outras atividades desenvolvidas por Mandrake são o agenciamento de grupos de rap e a organização de eventos que promovem a cultura hip hop.

Mandrake é designer gráfico, sendo um dos mais destacados no movimento. Entre alguns websites criados por ele, que já foram ao ar , podemos citar o do Facção Central, Ordem Própria, Hórus, Holocausto, Marola Discos, entre outros. Ele também desenvolve capas e encartes. Alguns dos trabalhos assinados por ele: “Dos Barracos de Madeirite aos Palácios de Platina” (Realidade Cruel), “Facção Central – Ao Vivo” (Facção Central), “Sequela das Lágrimas de Sangue” (Hórus). Apesar de estar morando em Itajaí/SC ah três anos, o flyer das principais festas de RAP na periferia de São Paulo, são assinadas por ele.

Mandrake também foi um dos responsáveis pelo Marketing de uma grande grife de roupas em São Paulo, que na época patrocionou grandes nomes no RAP como: GOG, Thaíde, Consciência Humana, Facção Central, A Família, Alessandro Buzo, entre outros.

Atualmente, está se dedicando a gravação do disco solo e trabalha como Editor de Artes, do Jornal Diário do Litoral e é responsável pela diagramação de três revistas mensais, em Itajaí/SC.

Suas útilmas participações músicais foram no útilmo disco do Realidade Cruel, na faixa “Gangsta RAP NACIONAL” e no DVD do grupo catarinense MANIFESTO, que será lançado em breve.

Há pouco tempo, Mandrake descobriu que tem outro grande talento, o de ser pai. Mandrake tem dois filhos com a jornalista Elaine Mafra, que trabalha com ele no Portal Rap Nacional e no jornal Diário do Litoral. Pablo Mafra Domingues e Larissa Mafra Domingues tem sido as grandes fontes de alegria do casal. Mandrake continua firme sua correria no rap, para quem sabe no futuro, Pablo e Larissa possa encontrar um mundo com menos diferenças sociais e menos injustiças.

EXCLUSIVO – PORTAL RAP NACIONAL

O rapper Crônica Mendes, compositor e vocalista do grupo “A Família”, lança música em comemoração a Copa do Mundo – África 2010.

“Não se esqueça da África”, este é o nome da música lançada pelo rapper em parceria com Tom Silva, Jairo Periafricania e o produtor musical Cleonilson Rezende (Mr. Kreu). A música celebra a Copa do Mundo em grande estilo com muito rap nacional embalado por tambores africanos e dribles numa levada livre. Gravada no MKF Studio Digital, na cidade de Sumaré, interior paulista.

A música é para tocar em todo canto. Nos bailes, nos carros, na internet, em casa… O público tem acesso total a ela. É para celebrarmos juntos. “É tudo nosso!” Afinal, o futebol é arte de periferia que conquistou o mundo, assim como o Hip Hop. Sendo essa a maior copa de todos os tempos, por ser na África, país, continente, mãe de todos nós. Isso é sim um motivo para celebrarmos o futebol com a nossa música rap, mas sem esquecer o que vem depois, depois que a copa acabar. Hoje, a África é o centro do mundo, mas quando o espetáculo for embora, a África continua sendo.






Strondo Beats conexão Brasil-França



Strondo Beats conexão Brasil-França veja como foi.

Por: Fabio Barbosa




Aconteceu no final de semana dia 13 de junho no Céu Meninos que fica no Jardim Patente o “Estrondo Beats”.

O Céu meninos estava cheio e todos puderam conferir um evento de qualidade e bem organizado.
Um show que mostrou a conexão Brasil-França com a participação dos MC´s Franceses Dajanem e Oslim que mandou muito bem no beat box.

A apresentação ficou por conta do Zóio (Danilo) da Rádio Heliópolis FM.

Esta parceria surgiu quando no ano passado os mc´s do grupo Avante Coletivo fizeram uma turnê pela França.

Para fortalecer a corrente os Franceses estão no Brasil para divulgar seu trabalho juntamente com os meninos do Avante Coletivo.

O grupo fez a estréia do seu primeiro single, e mostrou uma prévia do cd que ficará pronto em agosto deste ano.
O show teve a participação do grupo Estilo de Vida, a fusão de “Música” e “Qualidade” intitulam o primeiro trabalho do grupo de “Musiqualidade“, que virá com uma mistura de ritmos e estilos o que dá ao grupo uma essência inovadora no Rap aliado a grandes participações como: Potencial 3, Tio Fresh, Luiz e F.R entre outras.

O União de Ideias é um dos representantes do rap catarinense. O grupo foi formado em Blumenau e atualmente é composto por Bóris NF e Jonathan EB.

Bóris NF é o produtor, compositor, mc e backing vocal do grupo. Há cinco anos ele criou o estúdio Alicerce para suprir as necessidades do União de Ideias e também ajudar o movimento hip-hop local. Através deste selo já foram produzidas três coletâneas com grupos da cidade.

Nas letras cantadas pelo grupo eles buscam desmistificar a ideia que Blumenau é simplesmente a “Terra da Oktoberfest”. As favelas que se instalaram nos morros da cidade e que a cada novo temporal arriscam desmoronar, são alguns dos elementos inspiradores. Mas, eles também curtem fazer um rap mais romântico.

Há nove anos na caminhada do rap nacional, o grupo já se apresentou em diversos eventos de hip-hop e também em festivais ecléticos. Neste período lançou sete discos, sendo um duplo e outro remixado. Todos os álbuns foram produzidos, prensados e distribuídos de forma independente.

O último CD é “Nada é com antes”. Esse trabalho reuniu toda experiência adquirida ao longo do tempo e é uma prova do amadurecimento, da ideologia, da levada e da produção musical, que os integrantes conseguiram alcançar.

“Umbabarauma”, regravação do clássico “Ponta de Lança Africano (Umbabarauma)”, do disco “África Brasil” (1976) de Jorge Ben Jor. Realizada em março de 2010 no estúdio YB, em São Paulo. Versão por Jorge Ben Jor e Mano Brown. Música produzida por Daniel Ganjaman e Zegon. Co-produção Gabriel Ben Menezes. Vocais de apoio por Negresko Sis (Anelis Assumpção, Céu e Thalma de Freitas). Instrumental por Duani Martins, Gustavo Da Lua e Pupillo. Produção executiva Kultur Studio. Realização Nike Sportswear.

O próximo final de semana será de muita reflexão na capital catarinense. Será realizado de sexta-feira a domingo (18 a 20), o primeiro encontro Nação Hip-Hop Brasil Estadual. Durante os três dias de evento haverá diversos debates com temas pertinentes a cultura hip-hop e também shows com grupos locais e atrações nacionais. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do site www.nacaohiphopbrasilsc.com ou clicando aqui. A organização do encontro oferece alojamento e alimentação para todos os participantes. Então, se você é uma cabeça pensante do movimento hip-hop não pode ficar fora dessa. Faça a sua inscrição agora mesmo, arrume as malas e se prepare para participar de um evento que entrará para história de Santa Catarina.

R.D.S MC´s
EFITO
hollywood










 

joao paulo total drama 0 comentários

Alcateia Us Verdadeiros Num Cai
O grupo Alcatéia foi formado por Cleyton e Rafael no bairro do Jardim Capela no extremo sul da capital paulista no ano de 2000, desde o inicio sempre tiveram a amizade e apoio do Moysés A286.
Atualmente os integrantes do grupo são Cleyton , Rafael e DJ R15.O primeiro CD do grupo está sendo produzido por ERICK 12 um dos grandes produtores no cenário do rap no estúdio Reviravolta Mafia e o lançamento está previsto para este ano,o cd que vai se chamar “ALCATÉIA “US VERDADEIROS NUM CAÍ” um titulo que expressa bem todos esses anos de caminhada e superação que o grupo teve até conseguir gravar seu primeiro trabalho, e para contemplar essa vitoria o cd terá as participações especiais de grandes nomes do Rap Nacional : Gaspar (Z’África Brasil), Dimenó (Alvos da lei), Daniel (Ordem Própria), Ivan e Moysés (A286), Erick 12 e Betão (QI Racional), e na parte fotográfica tem a participação do fotógrafo: Max Nogueira.

Conheça o Los Guerreros
LOS GUERREROS vai muito além do termo grupo de RAP. ´Somos um
grupo de poetas, que visa fazer músicas com conteúdos que atendam as
necessidades dos jovens do gueto´ Diz Ribeiro. O grupo aborda diversos
temas,
como amor, auto-estima, questões raciais. Tudo embasado no estilo de
vida urbano
e na óptica cristã, essência ideológica dos
integrantes.
O grupo surgiu
em 2000 no Entorno de Brasília, com a
iniciativa de Ribeiro e Goma. O projeto
iniciou com o nome Bala de Prata
(secular).
No ano 2001 o grupo muda, a
formação original e ganha ainda
mais força com a entrada de seu irmão mais
novo, Alan. Desde então, o
projeto passa a chamar-se LOS GUERREROS.
Criados nos guetos do Distrito Federal, os irmãos que cresceram ouvindo artistas como GOG, Câmbio Negro, Consciência Humana e Racionais, Luryn Hill, Bone e Eazy-E passaram então a compor suas próprias letras e a ensaiarem suas primeiras rimas em rodas de free style. Com o passar dos anos a dupla foi adquirindo maturidade, renovando conceitos, buscando novas fontes e referências até receber apoio financeiro de amigos para produção do primeiro disco. (LOS GUERREROS NO AR disco em fase de conclusão).
O disco los guerreros no ar vem com letras inovadoras, levadas e batidas envolventes e conta com produções de Ariel Haller – BSB, Diogo Santos – BSB, G.styles – EUA, Dj Max – SP além de participações especiais de amigos como:
Manuscritos – RJ
Michelle Paulino – EUA
B-Wise – EUA
Lito Atalaia-SP
E muito mais…

Conheça o rapper mirim CAUAN
No ultimo dia 23/03 o Brasil pode conferir o talendo do garotinho Cauan de apenas 6 anos ao se apresentar no programa Qual é o Seu Talento no SBT.
Representando o RAP Cauan arrebentou fazendo com que o publico vibrasse e os jurados se rendessem ao seu talento.Miranda um dos jurados do programa se levantou e foi cumprimentado no palco.Com apenas 6 anos Cauan vem se destacando desde o ano ano de 2009 quando se apresentou na Band no Programa da apresentadora Marcia Goldsmith chamando assim a atenção da produção do programa Silvio Santos.Apresentando -se ao lado da apresentadora mirim Maisa e do proprio Silvio Santos o pequeno Mc ja mostrava a que veio e agora no ano de 2010 com seu cd solo em fase de produção Cauan se classificou para a fase semifinal do programa.Integrante da Banca Reviravoltra Mafia e do grupo Vigilantes Mc’s, Cauan acabou de gravar a musica APERTA O PLAY com a dupla de repentistas Caju e Castanha e acompanha a dupla pelo brasil e suas apresentações uma peculiaridade acompanha o grupo “Desde a chegada do Cauan no grupo muitas crianças agora estão indo aos nossos shows para velo isso é muito gratificante pois é uma nova geração do RAP que se forma”Diz JR Pai do Cauan.

Samaritanos Mc´s
O grupo Samaritanos Mcs, nasceu na cidade de Valinhos –SP, no ano de 2009, é formado por NegoBlack e Nego Gil.
O primeiro trabalho do Samaritanos Mcs, será lançado em 2011 com o titulo “Deus Criou o Homem Pra Dominar”.
O grupo participa de projetos sociais, com menores na Fundação Casa, moradores em situação de rua, sempre usando o Rap como uma forma de ajuda, incentivo para as pessoas que se encontram em situações de abandono que acabam sendo resgatadas pelo Rap.
Samaritanos Mcs, é mais um grupo que esta chegando para somar no cenário do Rap Nacional,e traz com exclusividade para o Portal Rap Nacional o pré –lançamento de seu primeiro disco.

O Grupo Ocorrência Criminal
foi formado no inicio de 1994, com o intuito de transmitir sentimentos, revolta e acima de tudo indignação pelas questões sociais do país.
Em 2003 o grupo lançou seu primeiro trabalho de divulgação “A Profecia”o disco colocou o Ocorrência Criminal na cena do Rap no Distrito Federal.
Em 2005 alcançando a sétima posição no concurso Abril Pro Rap, o grupo teve o privilégio de participar da “Coletânea Abril Pro Rap 2005″ com a música “O Louco”, que mais tarde se tornaria o primeiro clipe do grupo. No mesmo ano foi lançado o primeiro trabalho independente intitulado “Preconceitos”.
Atualmente o grupo esta em estúdio para a gravação do seu segundo trabalho independente chamando “O MUNDO? .Que terá o apoio de outras parcerias nas apresentações de DJ W Rap, Preto Nagô e Cangalhas. (todos componentes do grupo Afrodinâmicarima).
O disco “O MUNDO? caracteriza-se pela produção bem musical e com um conteúdo bem relevante, tratando-se do descaso social, injustiças, mas também sem se esquecer que as funções do RAP além de transmitir a realidade também tem o poder de transmitir uma mensagem descontraída .
As parcerias nesse novo trabalho são G-RÁ (atalaias)Doctor Zumba (artigo2),Alemão (Consciencia Coletiva), Jeferson (Esquadrão RAP), Anderson (Holocausto), Don Gerson (D’Quebrada).
O novo cd do grupo Ocorrência Criminal promete ser um disco além de inovador, seguir os mesmos ideais, e forma de concepção do que é realmente é o Rap Nacional, o grupo tem uma ideologia de que; não importa o que se ouve mais sim o que se transmite aos seus ouvintes.

A FAMILIA RDS tem mais um componete
a alma feminina marca presença o nome dela é NEGRA sú

Facção Central reúne a periferia de Londrina


Em coro, músicas do grupo foram cantadas com emoção pelo público; emoção e conscientização marcaram o show na cidade
Apesar das quatro horas de atraso, o ginásio do jardim Bandeirantes contou com um grande público no último sábado (dia 15). E não poderia ser diferente, já que naquela noite estaria por se apresentar um dos mais conhecidos e respeitados grupos de Rap Nacional Facção Central.


A noite ainda contou com outros grupos de Londrina e região, que puderam expor toda a dificuldade vivida pela classe oprimida do norte do Paraná. Sem brigas, todos ali estavam por um mesmo ideal, além de se divertir, celebrar a cultura e os sentimentos da periferia.
O frio não afastou o público de seus porta-vozes e a festa marcada para as 18 horas teve início às 22h30. Tudo bem, afinal muitos dos presentes, por trabalharem no sábado, deixariam de prestigiar uma grande parte do show.
Com muita apreensão e ao mesmo tempo empolgados para assistir o grupo Facção Central, as pessoas foram aquecidas com os grupos que se apresentaram antes, entre eles o Sociedade Periférica, Resistência, Família I.M.L, D.Z.O e o R.D.R. Juntos, os músicos somaram muita qualidade até o momento mais aguardado da noite.
Momento esse que aconteceu por volta das 2h de domingo, quando o Facção Central com seus “Versos Sangrentos, dando continuidade à Marcha Fúnebre, Direto do Campo de Extermínio, apresentou o seu Espetáculo do Circo dos Horrores”.

Lançamento do Prêmio Cultura Hip Hop em SERGIPE terá presença do grupo INQUÉRITO
Neste fim de semana (28, 29 e 30 de Maio) acontece o lançamento oficial do Prêmio Cultura Hip Hop (Preto Ghoez) na capital Sergipana.

Os três dias de evento em Aracajú terão várias atividades.
No primeiro dia sexta -feira (28) terá um Baile Black no “Beco dos Locos” para aquecer a rapaziada, com as presença de Dj’s e B.boy’s.
No segundo dia sábado (29) acontece no Mercado Municipal a apresentação do INQUÉRITO cantando seus grandes sucessos novos e antigos ,na companhia dos grupos locais.
As atividades serão encerradas no domingo (30) com presença do cineasta e escritor Toni-C que lançará oficialmente o “Prêmio Cultura Hip Hop” e também o livro Hip Hop a Lápis “Literatura do oprimido”.


FAMILIA RDS MC´s




HiP Hop Cultura traz Facção Central apresentando “O Espetáculo do Circo dos Horrores”, um dos shows mais aguardados . Será no próximo sábado dia 15, a partir das 18 horas na cidade de Londrina no Paraná.

E terá o lançamento da música inédita “Outra Vida” participações Facção Central, Moyses A286, DZO.


Local:
Ginásio do jardim Bandeirante

Craque versus Esquema Tático.



Mano Brown, Vanderlei Luxemburgo, Neto e Flávio Prado contam histórias e seus diferentes pontos de vista sobre o Futebol Brasileiro.
O que é mais importante para uma equipe?! O craque ou o esquema tático?!
O video documental contém lances impressionantes de jogos de futebol e dos principais clubes de futebol do Brasil e da seleção brasileira.
Grandes jogadas dos principais jogadores do futebol brasileiro, gols decisivos, dribles desconcertantes e lançamentos em profundidade. brasileira.

Com um conteúdo extremamente realista e sem maquiagem, A286 tem a produção do segundo disco assinada por Erick 12, que também é o DJ do grupo. Exército dos excluídos, é um disco de RAP PESADO, que relata problemas enfrentados na periferia, como o crime, droga, violência polícial e tudo de podre que asombra nossos irmãos da favela. ” Acredito que todo comportamento humano é conseqüência das suas experiências de vida, é impossível falar de algo que você nunca viveu por isso relato o que vivo todos os dias sem maquiagem, pois não maquiam nossas lagrimas de desesperança, procuro passar o ponto de vista oculto em cada reportagem em cada marketing estudado e caracterizado pro meu consumo suicida, onde por ética condenam como atentado a vida a utilização de embriões humanos pra estudo científico, famílias vivem sem acesso a água potável morrendo de doenças evitáveis diariamente, tento despertar o senso critico de quem sofre anestesiado pelo jogo de futebol e o capítulo da novela, é embaçado você se adaptar a uma guerra santa… estudei, que de 30 milhões de genes do corpo humano apenas 6 definem a cor da pele de um ser humano, ou seja uma parte ínfima , e mesmo assim você vê racismo e preconceito discriminação ,é complicado você ver que conhecimento também pode ser sinônimo de ignorância, assim que nasce a guerra, só não quero ver ninguém injustiçado morrendo em silencio” declara Reinaldo, um dos compositores que juntamente com Ivan e Moysés formam as vozes linha de frente do A286

RAP FESTIVAL  

joao paulo total drama 0 comentários

O Rap Nacional esta de LUTO perdemos uma Grande Guerreira Dina Di (Viviane), faleceu nessa madrugada dia 20.

Dina Di deu a luz a uma linda menina Aline no ultimo dia 02/03, e permaneceu internada por causa de uma infecção hospitalar, e nessa madrugada a triste noticia que pegou a todos nós de surpresa que a Rainha do Rap, havia falecido devido a uma infecção generalizada.

O enterro ocorreu na tarde de sábado às 17h no cemitério da Vila Formosa em SP, teve a presença de vários amigos e familiares, em um clima de total emoção.

Para as mulheres a realidade nem sempre é cor de rosa, mas elas fazem da realidade um arco iris repleto de cores e significado que só as mulheres entendem e sabem interpretar.

O grupo Atitude Feminina é um dos poucos grupos brasileiro formado só por mulheres, cada uma delas leva um elemento feminino diferente ao palco, e mostram através de ações, sons e emoções quem é a verdadeira mulher brasileira.

O grupo Atitude Feminina, com Hellen, Giza Black nas rimas e Aninha no backing vocal, estão juntas desde a sua primeira formação no ano 2000, e desde o começo, elas chamaram a atenção para o lado feminino do movimento HIP HOP, pelo seu engajamento contra violência doméstica e a discriminação das mulheres das classes mais humildes da sociedade.

Com as fortes letras, as suas músicas conseguiram destaque entre os jovens da periferia, sendo muito requisitadas para apresentações em todo o Distrito Federal e Entorno, além das cidades de Goiânia, Barreiras, Belo Horizonte, São Paulo, Piracicaba, Rio de Janeiro e Fortaleza entre outras.

Como está a cena do Rap aqui no DF?
Aninha - Está evoluindo, está crescendo muito, a Atitude Feminina está aí há dez anos na estrada e aqui tem muitas mulheres que rimam, tem a Taty, do grupo Belladonna, tem algumas meninas do entorno, tem algumas meninas gospel como o Relato Feminino. E o rap feminino aqui cresceu muito, da época que a Atitude Feminina começou rimando, para hoje, tem mais mulheres. Agora falando no mercado, de uma forma geral, aqui é muito grande, apesar de não termos muitos espaços para cantar e por isso muitos grupos bons desaparecem, param e infelizmente desistem de seus sonhos.

Qual o sentimento de ter lançado o “CD Rosas”, que ultrapassou as fronteiras do DF, dando ao grupo prêmios e visibilidade nacional e internacional?
Helen – Foi maravilhoso, eu não tinha noção que iria chegar tão longe, eu tinha uma visão que a musica seria tocada mais em Brasília, no máximo cidades mais próximas, mas graças a Deus repercutiu muito, foi muito bom mesmo. Uma pena que nem eu e nem a Giza pudemos comparecer mais nos eventos fora do DF, pois estávamos na correria, mas o pouco que a gente participou foi muito bom, mas o próximo vai ser melhor.
Giza – O mais importante de tudo é a satisfação de ver as pessoas chegarem e ouvirem a nossa música, acharem “massa”. Minha patroa mesmo chegou com o jornal falando que tínhamos ganhado o prêmio Hutúz de Revelação, sendo que nem eu mesmo sabia disso. O melhor de tudo é ver mesmo a satisfação das pessoas, ver que elas têm o carinho e que reconhecem o trabalho de cada uma. Mesmo com as dificuldades, por que foi muito difícil fazer o primeiro CD, mas é uma satisfação.
Aninha – Às vezes a gente não tem noção da responsabilidade que é ser chamada de Atitude Feminina. E quando se fala em Atitude Feminina é sempre lembrada a música “Rosas”. E você acaba não tendo noção, será que o trabalho foi bem feito, foi bem desenvolvido e aí quando chega uma mulher dizendo: “eu denunciei por causa da música Rosas”, “eu tive coragem de denunciar por causa da música Rosas” e maravilhoso. Eu conheço uma pessoa que diz que foi preso por causa da música. Eu creio que a gente conseguiu fazer um trabalho – mesmo sem a gente querer – bem feito. Foi um trabalho que a gente deu um ponta pé e aconteceu, pois como a gente sempre falou, as meninas sempre trabalharam muito, pois elas tem filhos, tem que se sustentar e agora como a gente vai fazer show? Mas quando aconteceu o “Rosas” a gente se colocou dentro da música por ser mulher e de ter vivido dentro de casas atos de violência.

Quais são as principais ações que vocês desenvolvem ou já desenvolveram como grupo fora dos palcos?
Aninha – Além dos palcos nós participamos da Campanha Nacional nos Colégios Contra a Violência a Mulher, Campanha sobre Sexualidade, Campanha Contra as Drogas, Fóruns e Palestras em Colégios, Shows nas comunidades em parceria com a secretaria de ações comunitárias, distribuição de enxoval para mulheres grávidas, material escolar para crianças que as mães não têm condições para comprar e projetos sociais em parceria com a Associação Cultural Claudio Santoro.

Por que vocês fazem essas ações?
Aninha – Realizar o sonho de uma criança, dar o material escolar básico para elas, ouvir uma mãe falar que agora ele tem frauda para os seus filhos, que tem uma manta para eles, pois muitas vezes essas mães que saem do hospital não tem dinheiro para comprar a frauda e nem um kit de saída de maternidade. E como o índice de jovens e adolescentes grávidas aqui no DF é grande, o governo acaba não dando conta de distribuir esse kit para todas. E maravilhoso você ir ao o colégio e cantar para um menino que é menor de idade e não pode ir a um baile de rap, ou a família não gosta que ele vá… É prazeroso pra gente fazer esse trabalho. As mães depois olham a nossa musica com outros olhos.



“Em breve estará nas lojas um dos CDs mais esperado do ano, “A286 – Exército dos excluídos”. O Portal Rap Nacional, parceiro do grupo A286, disponibiliza com exclusividade a capa desse novo trabalho e também 5 das 16 faixas do disco para download .

Com um conteúdo extremamente realista e sem maquiagem, A286 tem a produção do segundo disco assinada por Erick 12, que também é o DJ do grupo. Exército dos excluídos, é um disco de RAP PESADO, que relata problemas enfrentados na periferia, como o crime, droga, violência polícial e tudo de podre que asombra nossos irmãos da favela. ” Acredito que todo comportamento humano é conseqüência das suas experiências de vida, é impossível falar de algo que você nunca viveu por isso relato o que vivo todos os dias sem maquiagem, pois não maquiam nossas lagrimas de desesperança, procuro passar o ponto de vista oculto em cada reportagem em cada marketing estudado e caracterizado pro meu consumo suicida, onde por ética condenam como atentado a vida a utilização de embriões humanos pra estudo científico, famílias vivem sem acesso a água potável morrendo de doenças evitáveis diariamente, tento despertar o senso critico de quem sofre anestesiado pelo jogo de futebol e o capítulo da novela, é embaçado você se adaptar a uma guerra santa… estudei, que de 30 milhões de genes do corpo humano apenas 6 definem a cor da pele de um ser humano, ou seja uma parte ínfima , e mesmo assim você vê racismo e preconceito discriminação ,é complicado você ver que conhecimento também pode ser sinônimo de ignorância, assim que nasce a guerra, só não quero ver ninguém injustiçado morrendo em silencio” declara Reinaldo, um dos compositores que juntamente com Ivan e Moysés formam as vozes linha de frente do A286.

“A286 mais verdadeiro e sincero que nunca, sem previsão de mudar uma vírgula, pois enquanto houver injustiça social em relação ao pobre, enquanto houver sangue pra limpar, velório pra chorar, gambé pra nos matar, juiz pra nos condenar, pulso pra algemar, escravidão pra acabar, história pra enganar, féto pra abortar, tirania pra democratizar, fila pra esperar, paz pra sonhar, lei pra burlar, bomba pra detonar, guerra pra cessar, socorro pra gritar, esperança pra alimentar, opinião pra mudar, doença pra curar, dinheiro pra roubar e o homem pra errar, dizimar e matar. Ainda tem e sempre terão os sinceros pra denunciar, o RAP verdadeiro, sem moralismo e dogmas, enfim enquanto houver motivo, A 286 será a voz do exército dos excluídos !!!” , afirma Moysés – A286.

Pra quem achava que a família Rap Nacional estava dormindo no barulho, segue mais um fruto de um trabalho sério dedicado ao público do Portal! E em breve mais informações sobre a festa de lançamento do A286.























A LOCOMOTIVA NAO PARA


















NAO ITERESSA EU TO COM PRESSA JP TA PRONTO PRA GUERRA

Os projetos da Wu-Brasil estão a mil por hora. Nas próximas semanas será lançada a primeira mixtape dos integrantes do Wu-Tang Clan no Brasil. A mix que terá o nome de The Brasilian Mix Tape Chapter (O Capítulo Brasileiro), terá participação de U-God, Shyheim, Dom Pachino, Rameses (Wu-Latino), G.O.D. Father (IM3 Blaq Mobb), Flame Killa (IM3 Blaq Mobb), Pilaco Pallace (Wu-Furmigueiro), Tom (Função RHK e Wu-Furmigueiro) e DJ Mk (Wu-Furmigueiro). The Brasilian Mix Tape Chapter será distribuida gratuitamente e terá o lançamento exclusivo no Portal Rap Nacional.

Outro grande projeto que vai movimentar o rap nacional é o The Chance Wu-Remix. Essa será uma mixtape diferente, onde qualquer brasileiro pode participar. A idéia é que os MCs e DJs mandem um remix, de um som do Wu-Tang Clan, para que a Wu-Brasil avalie. Uma das exigência é que todos os trabalhos enviados tenham a participação de um Mc do Brasil.Os 12 melhores vão fazer parte do The Chance Wu-Remix. O vencedor da competição passará a fazer parte da banca Wu-Furmigueiro e participará do disco que será lançado provavelmente ainda este ano.

Um dos diferenciais dos integrantes da Wu-Brasil será o figurino. As roupas serão confeccionadas em Nova Iorque através de um acordo entre a empresa EX13NY e a Wu-Wear. Em março, os integrantes do Wu-Brasil já terão as primeiras peças para usar. Mas, o público terá que aguardar um pouco mais. A coleção só estará disponível para a venda no mês de junho.

O rapper DBS está em estúdio preparando um disco novo. O àlbum vem com uma mescla de produtores, entre eles Dj Cia, que produziu os dois últimos cds de DBS, Dj Max, Cyber, Muder Turner e Dj Crossbone, da Alemanhã. Em breve o Portal Rap Nacional vai trazer para você, em primeira mão, a música de trabalho do novo cd. E quem quiser saber um pouco mais sobre a história de DBS deve adquirir o livro Hip Hop a Lápis 2. No livro o rapper conta parte da sua caminhada e da Manicômio Sonoro.

Neste domingo tem uma grande festa na Estância 01 em Planaltina/DF, será promovida a 3° Festona – A Festa das Estâncias. A atração principal do evento é o grupo de rap Guind’Art 121, que apresentará o show Xeque-Mate.

A festa começa às 17h e os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na Rodas e Rodas Daher, de Planaltina. O preço é popular! A entrada custa apenas R$ 5,00.

Projeto Mostre Seu Som – Tufão e o álbum – Mais loucos do que nunca


O rapper pernambucano (Recife), Tufão, que desde a infância está envolvido com o hip-hop, fez parte do grupo "Potencial do Rap" por 6 anos, onde lançaram um álbum pelo selo independente chamado PDR PRODUÇÕES records. Hoje, em carreira solo, Tufão ira lançar o seu disco chamado "Loucos Rimadores - Mais Loucos do que Nunca" com produções próprias e outras com base de pesquisas.
Tufão ganhou destaque na carreira solo, participando e contribuindo com produções “Instrumentais” para vários artistas da cena Hip Hop como: Tiger, Zé Brown (Zé Brown Apresenta Talentos 2009), Gaby Voice, Esquadrão Zona Oeste, A-lex, Kbssa, Silva H, Kamus, Lo e os Comparsas, Discurso Verbal, Arthur Coligação entres outros.
O disco que tem o sucesso "Queimando o Asfalto", música que satiriza a corrupção policial, é uma compilação do que há de melhor em rimas e produções atuais. As letras abordam diversos temas, mantendo o clima positivo do início ao fim, sem falar nas produções e no jeito único de rimar.

 

joao paulo total drama 0 comentários

A Família – Cantando com a Alma

Àlbum: Cantando com a Alma
Grupo: A Família
Track List:
01 – Faveláfrica
02 – Vejo
03 – Brinquedo Assassino
04 – Versos Bandido
05 – Sem Motivos Pra Sorrir
06 – Mistura de Poeira e Sangue
07 – Muito Amor
08 – Estresse
09 – O Homem
10 – A Justiça vai ser feita
11 – Na Rua Só Até Às Dez
12 – Castelo de Madeira
13 – Cantando com a Alma
14 – De onde vim

*Todos os downloads disponíveis no Portal Rap Nacional são autorizados pelos detentores dos direitos autorais das obras.

Recebemos hoje a informação dos organizadores que foi cancelado o show que seria promovido no dia 27 de fevereiro, em Guaianases, com DBS e A286.

Esse boato já havia surgido antes. Mas, infelizmente só agora os organizadores entraram em contato com o Portal Rap Nacional para informar o cancelamento.


Rappin Hood desfila agora na Imperador
Postado por Elaine Mafra em 12 de fevereiro de 2010 ás 23:24

Rappin Hood desfila agora na Imperador | leia esse artigo Rappin Hood é um dos puxadores do samba enredo da Escola de Samba Imperador do Ipiranga, de São Paulo. O desfile começa dentro de alguns minutos.

Amanhã é a vez de Ndee Naldinho representar o rap nacional no sambódramo. O Preto do Guetodesfila no sábado pela Gaviões e segunda na Camisa 12.

Edson Reis (Calibre Mc), nasceu no na cidade do Rio de janeiro e aos oito anos foi morar na Bahia, devido a separação dos seus pais.

Iniciou sua trajetória musical nas batalhas de rimas em Salvador, ganhando destaque por ser finalista por duas vezes consecutivas em campeonatos de Free style, ficando com o segundo lugar, e campeão por duas vezes do projeto Sociedade nos Bairros (evento que reuni uma gama diversificada de gêneros musicais).
No ano de 2002 gravou o seu 1° disco na cidade do Rio de Janeiro, chamado - Não somos fracos, somos muitos.

No ano de 2005, Calibre mc mostra a cara para o mundo, com os seus 2 videos clipes (Humildade no Passado e Discriminador Ambulante) produzidos na ITALIA na cidade de MILANO, uma conexão entre o Brasil e a Itália através das atividades com a Capoeira, onde o mesmo é professor. Os videos concorreram, como melhor video clipe de rap nacional 2005 e 2006 (HUTUZ), no mesmo ano cantou no Palco alternativo.

Já fez alguns shows de abertura e dividindo o palco com renomados grupos e personalidades da Musica brasileira como: Racionais Mc’s, Zé Cabalero, Mv Bill, Sombra, Tonho Matéria e Tio Fresh.

Calibre faz shows em diversos ambientes e festas das mais diversificadas possíveis:


Semana Internacional de Cultura(Camaçari), no Carnaval, percurso Campo Grande Castro Alves com o Trio Africa 900, Radio sociedade, Vila folia, Fora de orbita, Black in fest, ritmo da arte negra, Sociedade nos bairros, festa de Arembepe, Musicalidade black, Desfile de Moda primavera verão 2008 (Camaçari), 2009 show no Pelourinho com
Tonho Materia (olodum) dentre outras.

Nos principais teatros da Bahia entre eles: Jorge Amado (SSA), Cidade do Saber (CAMAÇARI), Plataforma (SSA).

O hit No Balanço foi produzido por ele, com participação do vocalista do OLODUM (Tonho Materia) e o Tio Fresh (Sp Funk), está na lista das mais pedidas no Programa evolução Hip Hop com o Dj Branco 107.5 Educadora FM

Finalista do RPB etapa Bahia, com o clássico - Casinhas Pequeninas.

Representante da PROHIPHOP-BA Participo da Cquarta n°102 Quando a polícia com o Rapper Cabal.


O Código Negro é um dos grupos de rap mais antigos e influentes de Santa Catarina. PabloCn, Buki, PrecarioCN e KPILÉ são originários da parte continental de Florianópolis, onde se localizam os bairros mais pobres e violentos de S.C.

Com um estilo pesado e com letras politizadas recheadas da mais pura realidade das periferias brasileiras, tentam passar para a sua maior inspiração (o povo) que outro mundo e possível atreves da luta e a conscientização do povo pobre. Em sua trajetória de mais de 13 anos realizando eventos e shows nas periferias ou atos políticos em cidades catarinense como: Blumenau, Joinville, Criciúma, Itajaí, São José, Palhoça, Tubarão, Laguna e Florianópolis. Em cidades de outros estados como: São Paulo, Curitiba, Porto Alegre.

Tocando com vários grupos catarinenses como: FV coerente, Elemento Suspeito, Esquadrão da Rima, Família Consciente, DAVI Perez. De outros estados como: De Menos Crime, Consciência Humana, U-negro, Fim do Silencio, MOCAMBO, GOG, Face da Morte, Sistema Negro, Conexão do Morro e muitos outros.

Nessa longa caminhada o grupo Código Negro conquistou vários fãs,grandes amigos e muita experiência. Agora, o grupo lança a mixtape Periferia nosso Paraíso, que o Portal Rap Nacional traz para você fazer o download e conhecer um pouco do trabalho desse grupo.


Manda tocar a zabumba de Ganga Zumba, o Z’África Brasil está de volta! Um dos mais importantes e representativos nomes do rap nacional, cujo currículo inclui quatro turnês internacionais, eles chegam-chegando nesse “Tem Cor Age”. Verdadeira carta-sonora acerca do Estado das Coisas na periferia da maior metrópole do Terceiro Mundo nesses primeiros anos 2000 (o futuro que não chegou!), o disco é, pra começo de conversa, um largo passo em relação ao álbum de estréia, “Antigamente Quilombos, Hoje Periferia”. Seguindo a filosofia de que “é preciso mudar pra que tudo continue igual”, a banca oriunda da Zona Sul de São Paulo, formada pelos microfones de Funk Buia, Gaspar e Pitchô, mais DJ Tano (tri-campeão do Hip-Hop DJ, verdadeiro “Quem É Quem” dos toca-discos por aqui) não só mantém a essência intacta, como a amplia ao apostar, nesse que é seu segundo álbum, na valorização da musicalidade. Nem é de se estranhar portanto, as participações de instrumentistas carimbados como Fernando Catatau e Rian Batista (Cidadão Instigado), Theo Werneck, Dengue e Toca Ogan (Nação Zumbi), Simone Soul, ou cantores de renome como Céu e Zeca Baleiro. Além de Fernandinho Beat Box, que sempre colaborou com o z’áfrica. Ao contrário do CD anterior, em que predomina a urgência e a raiva de um discurso acumulado no peito durante os vários anos que separaram o início da carreira e o lançamento oficial do seu trabalho, dessa vez a métrica dos vocais vem trabalhada ao extremo, acompanhada por bases – assinadas pelo Instituto, pelo DJ Periférico, e o próprio grupo, no melhor estilo “tamo tudo junto e misturado” – recheadas com sabores de ragga, blues, música eletrônica… e muita brasilidade. Esse RG tupiniquim, que o ZB busca desde o início (num cenário pré-samba/rap, vale lembrar, quando isso era “sacrilégio”), se manifesta aqui em forma de cultura nordestina e samba. A primeira é uma influência salpicada ao longo do disco e sintetizada na faixa final, “Rei Do Cangaço”. Épico de seis minutos e meio capitaneado por Gaspar, conta a saga de Lampião. A segunda é representada por “O Bom Malandro”, carro-chefe-espontâneo de “Tem Cor Age”. Homenagem ao saudoso Sabotage, a faixa é cantada por um Funk Buia pra lá de inspirado, tem até um sample da voz do próprio (extraído de “Dama Tereza”, pérola do repertório que o Maestro Do Canão gravou com Rica Amabis e Tejo Damasceno), e é a última palavra em termos de samba-rap. E tenho dito. A arte do trabalho, assinada por Rodrigo Bueno, com imagens afro-brasileiras de beleza dura e mística, traduz bem o “imaginário zafricaniano”, na qual predomina o engajamento ferrenho dos guerreiros da favela. Numa época em que a mentalidade materialista e corporativa é predominante no mainstream do rap, só isso já é prova suficiente de que quem “Tem Cor Age”. Mas o Z’África Brasil tem muito mais a oferecer. Sempre atentos ao fato de que se o som é ruim, o palco vira apenas palanque, recheiam sua mensagem com o melhor que a MPB (Música da Periferia Brasileira, que fique claro) tem a oferecer hoje. Rodrigo Brandão (MC do Mamelo Sound System) “Tem Cor Age”, Z’África Brasil (CD, 2006 – YB Music/Instituto/Elemental – Tratore) Preço Sugerido: R$ 25,00

Entrevista com o grupo Z´Africa Brasil que acaba de lançar seu segundo CD “Tem Cor Age”.
Depois do classico “Antigamente quilombos, hoje periferia”, o Z´Africa nos blinda com um trabalho que já tem sucessos como “Eu não vi nada” e outros, vamos então falar com os manos da zona sul de SP, nessa entrevista exclusiva dada ao escritor Alessandro Buzo para o Portal Rap Nacional.

Falem do CD novo e do titulo dele “Tem Cor Age” ?
Salve salve Família, este cd é a continuidade das experiências que acumulamos nos anos que se passaram e as dificuldades naturais que superamos, tivemos a oportunidade de fazer um trabalho mais refinado musicalmente e a satisfação de trabalhar com pessoas que fazem parte da nossa história. É só o começo. Nesta batalha é pra quem tem cor age! Corage de superar os desafios e saber que na vida só se conquista com muita luta, o que importa é a cor e quem tem cor age!
Tudo tem cor!, Até um pingo dagua transparente e insistente, ficar batendo na mais dura das rochas é capaz de fura-la, ate ó transparente tem cor e quem tem cor age! É a ação que dignifica o homen que tem cor ação. Tem cor age e mistura do povo brasileiro na luta pela a igualdade e vida contra o racismo e o preconceito.Tem cor age em pouco do universo do canto falado e da batida quebrada! Nação Negrigena ou BracoÌndiAfroz, é o caldeirão das raças.
Temcorage!



O que mudou de “Antigamente….” pra cá ?
O que mudou foram os acessos, a musicalidade, aprendemos mais técnicas vocais, teve uma evolução poética importante e uma nitidez maior do que cantamos, os equipamentos na qual tivemos contatos, a produção na visão de extrair do nosso canto falado musica de verdade de contexto cultural muito mais elevado e enraizado. Nossa grande dificuldade sempre foi gravar, agora estamos podendo produzir nossos trabalhos e ter mais liberdade de criação e tempo de elaboração, os shows cresceram também, com o dj tano. Hoje temos a banda Instituto que produziu também o cd e já vários shows pelo o mundão a fora, somando com Embolex, que são um coletivo de vjs,que manipulam no telão imagens de acordo com cada musica do zafrica, e a militância do dia a dia.
Porque, ser do movimento Hip Hop é fácil, agora viver a cultura Hip Hop é difícil.
Dizem que fazer um rap, qualquer um é capaz, mas loco mesmo o rap é saber de quem faz! (Z´`Africa Brasil ).Do Antigamente pra cá até o Tem cor age! O que mudou, é que sempre alguém acaba ficando pelo o caminho, mas os que resistem continuam, pois sabem que nossa lua é atemporal.

Fale sobre a homenagem que fizeram na faixa “O bom malandro” ?
Salve, foi um grande mestre na qual podemos conviver e fazer shows juntos, principalmente no auge de sua carreira até o ocorrido, fazer rap no Brasil é viver isso intensamente, a família Instituto que estava produzindo o trabalho do Sabota na época foi um dos principais incentivadoras pra produzir e concluir esta musica, tivemos a participação da família Brooklin Sul , o Beto e o Bocão do Vai Vai, Beto Sorriso do grupo Luance, Paulo Preto e o Zezé do Jardim Leme e cantora Karina que deu um toque especial no Partido Alto. Usamos também uma colagem da voz do Sabotage – Dama Tereza – ( todo bom Malandro vira otário quando ama e todo malandro tem uma Tereza também, Sabotage, Samba da melhor Qualidade. ), feito com muito amor e mantendo a tradição de dar continuidade pelos os que morreram por nóis pra estarmos livres hoje. Como diz o irmão Rappin Hood, Sabotage é o maestro do Canão. Fica então registrado esta eterna homenagem.Bom Malandro.

Quem são as crianças da faixa que dá nome ao disco ?
São as crianças da nossa comunidade aqui na Zona Sul, algumas do Jardim Leme – Taboão da Serra, outras do Jardim Maria Sampaio no Campo Limpo, todo ano fazemos a festa do dia das crianças e esta música simboliza bem o que elas representam na nossa vida. É o que nos faz levantar pra batalhar por dias melhores. Cor Age pra trampar, Cor Age pra criar o filho…Tem Cor Age!. O nome das crianças são. – Beatriz, Natalia, Carol, Fernanda, Gabriela e o Podrinho.

“Eu não vi nada”, “Falei”, já são sucessos em shows, isso ajuda ?
Concerteza sim, todos o grupo sabem da dificuldade de gravar e manter uma seqüência de lançamentos, demoramos muito pra lançar este trabalho que é Independente feito a base da troca no escambo pra poder alcançar a qualidade que queríamos, muitas musicas como estas que foram citadas, já estávamos cantando nos shows e testando com o nosso publico se eram positivas. Isso ajuda a trabalhar e cadenciar as musicas antes de entrar no estúdio, fizemos um vídeo clip da Eu não vi nada que a rapaziada curtiu bastante e a Falei foi pra Original Dança de Rua, pra quem curti o verdadeiro Hip Hop e pras pessoas participarem mais do show, se é pra falar, falei.

De onde vem essa pegada do Z´Africa, essa interação com o tema Africa e Brasil ?
Isso vem de 1995 quando formamos o grupo, Gaspar, Fernandinho Beat Box, Pitcho, na intenção de fazer um RAP Brasileiro voltado a Raiz, absorvendo logicamente as culturas que vinham de fora. Conhecemos um dos nossos grandes mestres, o ZuluZafrica. Que nos mostrou o caminho de como fazer um rap bem feito, falando da nossa realidade mais também como trabalho de pesquisa pra próximas gerações, tivemos ascesso ao Original Funk, ao the one de James Brown, que foi o ponto principal da evolução sonora, somando com a pesquisa da nossa origem Periférica partindo dos Quilombos, o filme “Quilombo” de Cáca Diegues foi importante neste processo, que se comemorava 300 anos da morte de Zumbi dos Palmares, na época em que e o Anhangabaú incendiou cantando…Sou Negrão, hei, sou Negrão, hou). As influencias de cada um do grupo,.O Gaspar vem de família Nordestina, Pontiguar que cresceu no meio da sanfona, ouvindo Baião, Forró, Embolda.O Funk Buia tinha um grupo de samba chamado Vicio Nacional, o Dj tano que é de família de Pernambucanos, aprendeu com o pai a manipular os vinils, os discos de forró que ele tinha ai depois veio a casa do Hip Hop e hoje ele é o tri-Campeão do Hip Hop Dj Feito pelo o mestre KLJay e também somos membros Zulus.O Nosso canto falado Afro Brasileiro Universal é de origem Jamaicana muito mais do que Norte Americana. África Brasil são Irmãos separados entre terras e mares, o Brasil é um dos maiores contingentes de Negros no mundo e é um pedaço de África, Salve. – ZULUZAFRICAZUMBI.

Falem da Ponte Preta do Leme, o que é exatamente ?
A . A . P . P . – Associação Atlética Ponte Preta do Jardim Leme em Taboão da Serra.È o nosso time de futebol junto com À FIRMA. Esporte e Cultura pra comunidade.

E a festa do dia das crianças, vcs colaboram ou organizam ela no Jd Leme ?
Sim, a festa é feita no Jardim Leme, todo ano.Este ano foi o 6 aniversário da Ponte que se comemora no dia das crianças e da nossa Senhora Aparecida, no dia 12 de outubro. A realização fica por conta da À FIRMA, na qual o Z’África faz parte, com o Cooperifa, mais a Sociedade Amigos do Bairro e toda a comunidades que se mobiliza. Este ano a festa teve mais de 10 mil pessoas e tivemos apoio de muita gente que ajudou e fez tudo pra festa acontecer.Valeu! O ano que vem tem mais!

A periferia precisa de ?
Qualidade de vida.!

Cooperifa ?
É o ritual sagrado de quem mora na zona sul, é o lugar exato para expor suas idéias e aprender a cada dia com pessoas diferentes e simples que são iguais a vc. Um lugar onde não tem tempo pra vaidades e sim a responsabilidade com a verdade. Onde a poesia brota de várias formas, ritmos e sentidos, a morada dos poetas da Periferia. Sempre falamos, que o Cooperifa é evolução do Rap na Sul, por nos ter mostrado que a poesia é muito importante antes mesmo do ritmo. E faz com que a Periferia leia mais, com certeza.Obrigado, Sérgio Vaz, Pezão, Rose, e a todos os poetas Cooperiféricos, um beijo no coração, paz.

Premios como Hip Hop Top, Hutúz, como o Z´Africa vê eles ?
O Hutúz é um dos prêmios mais importante do Hip Hop hoje no País, onde temos a oportunidade de encontrar HipHopers do Brasil inteiro e do mundo. Já tivemos a oportunidade de participar e fazer um show, logo no lançamento do cd Antigamente Quilombos, Hoje Periferia, pra família foi histórico. O Hip Hop Top ainda não tivemos a oportunidade mais vai chegar, fé em Deus. Agora estamos preparando um vídeo Clip pra poder concorrer o ano que vem e enviando o novo trabalho tem cor age pra ver se o pessoal gosta. Aqui em Sampa, na antiga o Primo Preto fazia a festa de premiação dos melhores do ano, é importante que isso não pare e que cada ano, cada estado possa estar colaborando com o crescimento da nossa cultura.
Ano que vem é nóis, Tem Cor Age!

Falem da caminhada internacional do grupo, onde o Z´Africa já foi ?
Pode crê, começamos a viajar para o exterior em 1999, quando fomos pra Itália na cidade de Verona, Bologna e mais algumas províncias, na seqüência fomos pra França ai não paramos mais, já voltamos umas 3 vezes, Itália de novo. Fomos bastante também pra Inglaterra, Pais de Gales, na Bretania província da França, Espanha em Barcelona e o Funk Buia também foi pra Índia com o Instituto.Nestas andanças fizemos um cd que se chama, Z´África Brasil – Conceitos de Rua, trabalho feito partindo dos projetos sociais, tipo uma coletânea produzida e cantada com outros grupos de diversas parte da Itália, lançado por um selo Italiano chamado, Vibra Records(99-2000). E para 2007, esta pra vir pelo o selo livinastro do grupo Assassin, o EP – do Grupo Z’ África Brasil – Verdade e Traumatismo, produzido em Paris só com músicas inéditas com produção de Rockin S´Quat. Aguardem.! www.livinastro5000.com




Pretendem fazer clipe de qual musica ?
É, ainda não sabemos. Ta chegando.

Um DVD está nos planos ?
Sim, já estamos trabalhando nisso, o que podemos adiantar é que vai ser um DVD contando um pouco da nossa carreira, os shows e o trampo visual das imagens do Embolex.

Quem são os integrantes do grupos e de onde são ?
O Z´Àfrica Brail é, o Pitcho, mc e produtor, um dos fundadores do grupo. O Funk Buia o homem Ragga no vocal junto com o Mc Gaspar e o Dj Tano. E toda a família que nos cercam e que cada dia cresce e faz as coisas acontecerem. Somos todos da Z/S, Taboão da Serra, Campo Limpo, Diadema. O dj Meio Kilo que ta em Embu das Artes, também continua com suas atividades e somando com a gente sempre assim como o Dj Periférico.

Considerações finais ?
Salve salve toda a grande família, valeu de coração, muita força, axé. Salve pra família Back spin Crew que são nosso irmãos, todo do selo Elemental e do selo Livin Astro, aos irmãos do Instituto e da YB,ao Cooperifa, a todos da À Firma e a Ponte Preta, pra Simone Soul e grande mestre Nelson Triunfo, pra todos que vivem o Hip Hop e pra vc Alessandro Buzzo, que cada vez mais fortifica nossa luta e tem se tornado nosso grande irmão aos anos que vão se acumulando, que continue sempre assim, do bem e sempre disposto pra ajudar e somar com os guerreiros, Parabéns e obrigado. Eternamente família Z´Àfrica Brasil.
www.myspace.com/zafricabrasil


Ele é ‘DJ’, ‘Produtor’ e ‘Empresário’. Mas sua vida de destaque nem sempre foi assim: trabalhando como ‘Carregador de Malas’ do Terminal Rodoviário do Tietê (SP), em 1987 conheceu Mano Brown, que na época era ‘Entregador de Paletós’ de um ateliê de costuras no bairro do Brás (SP), e juntos arriscaram a primeira formação de rap de suas carreiras, o grupo ‘B. B. Boys’, que, mais tarde, em 1988, foi rebatizado de ‘Racionais MC’s’, tendo a mesma formação até hoje. Ele é Kleber Geraldo Lelis Simões, o ‘DJ KL Jay’…KL Jay – Eu já tocava com toca-discos, mas não sabia mixar direito. Na verdade a gente juntava toca-discos com tape-deck e ia tocando as músicas. Quem sacou primeiro o lance da mixagem foi o ‘Edi Rock’, e aí ele me ensinou.

RN – Quando você e o ‘Brown’ formaram o grupo ‘B. B. Boys’, o ‘Ice Blue’e o ‘Edi Rock’ já faziam parte do projeto?

KL Jay – Não! O B.B. Boys era o grupo do Brown e do Blue. Eu e o Edi chamávamos ‘Edi Night e KL Night’.


RN – Vocês trabalham juntos há mais ou menos 20 anos. Como tem sido conviver esse tempo todo em meio a viagens, gravações, shows…?

KL Jay – Família!


RN – Teve um episódio bem interessante na História dos ‘Racionais’ que foi a abertura do grupo no show do ‘Public Enemy’, em 1992, no Estádio do Anhembi (SP). Teria como você descrever como tudo aconteceu?

KL Jay – A gente foi ver o ‘Public Enemy’ no hotel, e aí o ‘Chuck D’ (líder do PE) disse que queriam a gente na noite do show dividindo o palco com eles. Quando a gente chegou, a produção nos impediu de entrar, foi quando o Chuck nos viu e deu ordem pra gente subir ao palco. Sem palavras…!


RN – Outro episódio que marcou a carreira do grupo foi o incidente no Show dos ‘300 anos de Zumbi’ (Vale do Anhangabaú-SP), promovido pelo programa ‘Yo! MTV Raps’, em 1994, onde a polícia privou vocês de continuarem a excussão do sucesso de ‘Um Homem na Estrada’, fato que ocasionou uma revolta sem precedentes por parte do público… Na sua opinião a Polícia, atualmente, entende mais a proposta do ‘Rap’ ou ele ainda é alvo de repressão por parte dela?

KL Jay – A repressão ainda existe, mas conseguimos mais respeito por parte deles. Eles sabem do poder que temos também…


RN – Em 1999, você se tornou VJ do Programa ‘Yo! MTV Rap’s’, e, um grande diferencial dos demais que passaram por lá, era a sua ousadia ao retratar assuntos de extrema importância para a juventude negra e pobre, quase sempre sem acesso a informação. Como era a reação da Produção perante a sua forma de trabalho?

KL Jay – Sempre me apoiaram.


RN – Ainda no campo da Mídia, os ‘Racionais’ são bem populares por rejeitar os convites indecorosos dos muitos canais de comunicação. Porquê?

KL Jay – A revolução não será televisionada…

RN – Em se tratando de produção musical, a responsabilidade das bases dos ‘Racionais’ também é sua?

KL Jay – Muito mais do Brown e do Edi.


RN – De todas as produções que fez (independendo aos Racionais), qual a que você consideraria a mais marcante?

KL Jay – ‘A Fuga’, do Xis (Coletânea Brasil 1 – Escadinha Fazendo Justiça com as Próprias Mãos).


RN – Além de DJ e Produtor, você também é um Empresário. Na sua opinião, como está mercado para o Rap Nacional na atualidade?

KL Jay – Osso… Todo mundo sem ´money`…


RN – Todos os anos você realiza o Campeonato ‘Hip-hop DJ’, considerado o maior campeonato para DJs da América Latina. Sendo você um DJ que viajou por muitos lugares do país e intercambiou com muitos talentos do seu gênero, já passou alguma vez pela sua mente a intenção de estender as competições para outros estados?

KL Jay – Claro! Mas precisamos de mais dinheiro para estruturar melhor a produção.


RN – Referente à Coletânea ‘Equilíbrio – A Busca – KL Jay na Batida’, que conta com a participação dos principais nomes do rap nacional: Porque a idéia de se fazer de modo decrescente seus volumes e o quanto ao número 1, quando sai?

KL Jay – É assim que leio as revistas… (risos). Sei lá, talvez quando sair o volume 1, o Rap esteja bem mais forte por aqui…


RN – Você é DJ e Apresentador do Programa ‘Balanço Rap’ na ‘105 FM’ aos domingos, juntamente com o Locutor ‘Paulo Brown’ e o Rapper ‘Ice Blue’, além de tocar como DJ residente às quintas-feiras na casa ‘DJ Club’, comandando a festa ‘Sintonia’ e ainda autua na rede ‘CEU’ num projeto que envolve Oficinas de DJ. Dá pra conciliar tudo isso com suas demais atividades, dentre estas os shows dos ‘Racionais’?

KL Jay – Sim, afinal de contas é o que sei fazer. Sobre as oficinas do ´CEU`, elas não chegaram a acontecer.


RN – O ‘KL Jay’ tem sido convidado para tocar em muitas festas eletrônicas. É notória a resistência a Resistência dos ‘Racionais’ sobre certos eventos aonde não se tem a presença do público das periferias. O que você tem a dizer o quanto?

KL Jay – É o seguinte: música não tem fronteiras, isso não quer dizer que você tem que tocar em todos os lugares, entendeu!?


RN – A respeito do ‘Funk Carioca’: muitos DJs de hip-hop se negam a executa-lo alegando inúmeros motivos, dentre eles, a pobreza vocal. Você concorda?

KL Jay – A pobreza vocal também existe em várias músicas do Rap. Acho a batida do funk carioca ‘muito louca’! Contagiante! Mas se eu não gostar do que está sendo dito, não toco.

RN – Como surgiu o convite pra tocar com o pessoal do ‘Urcasônica Sound System’ aqui no Rio?

KL Jay: Me telefonaram…


RN – Quanto ao seu gosto particular: o que o ‘KL’ tem ouvido em sua discoteca de casa?

KL Jay – Lupe Fiasco, NaS, Relatos da Invasão, Flora Matos com Fator, Martinho da Vila, Vanessa da Mata…


RN – Você poderia dar um ‘Play List’ das 10 mais executadas na sua Pista e no seu Programa?

KL Jay – Humm…! Depois, são muitas…!


RN – Qual o conselho que você daria para aquele jovem, que é pobre, e sonha com a carreira de ‘DJ’?

KL Jay – A maior pobreza é a do espírito…! Se esforce, tenha doutrina pra juntar o dinheiro e ir comprando devagar os equipamentos. Descubra se você tem mesmo o talento pra tocar e se envolva no meio. Ronaldinho O Fenômeno não tinha nem chuteiras, nem dinheiro pra ir treinar, mas tenho certeza que ele sabia do seu talento…


RN – Algum Planejamento para ainda para esse ano e o próximo?

KL Jay – Trabalho, trabalho, meu nome é trabalho!!! Bom, vem aí minha Mixtape, ‘Rotação 33’; só viradas com Rap Nacional, em CD e DVD! Tá muito bom! E logo mais ‘Na Batida Vol. 2’, ‘Blokaus’, ‘Xis’… Paz!


Por: Dj T.R
Saiba mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/KL_Jay

www.urcasonica.net
A paixão de KL pelos pick-ups começou em 1984, em meio às festinhas de família e, como todo autêntico DJ de sua geração, KL animava a pista utilizando apenas um aparelho 3 em 1 e fitas cassetes que editava dos programas black de FM da época. Sua primeira referência foi o ‘DJ Cash Money’, mas quando se deparou com as performances do DJ do rapper americano ‘Kool Moe Dee’, em apresentação ao vivo no Estádio do Palmeiras, em 1988, descobriu realmente o que queria para completar o seu trabalho.

No início dos anos 90, em sociedade com o rapper ‘Xis’, criou a ‘4P’, uma poli-marca que atuaria como Salão de Beleza, Grife e Selo Musical, responsável por lançar a coletânea-trilogia ‘Equilíbrio – A Busca – KL Jay na Batida’, que está em seu 2o volume (dentro de uma visão cronologicamente regressiva), com distribuição inclusive para o Japão.

Em 2000 produziu o primeiro álbum solo ‘Seja Como For’ do amigo ‘Xis’, muito bem aclamado pela crítica através do sucesso de ‘Us Mano, As Mina’ e desde 2002 realiza o ‘Hip-hop DJ’, considerado o Maior Campeonato Anual do Gênero da América Latina, responsável inclusive por lançar nomes importantes como o ‘DJ Cia’ (bicampeão 98/99). Pelo ‘Cosa Nostra’, selo que mantém sociedade com os Racionais, revelou os artistas ‘Apocalipse XVI’, ‘RZO’ e ‘Sabotage’ e, de modo independente, colaborou com as produções de ‘Rappin Hood’, ‘Potencial 3’, ‘Visão de Rua’, ‘SNJ’, ‘D Menos Crime’, ‘509-E’, entre outros.

Ao lado dos amigos ‘Paulo Brown’ e ‘Ice Blue’ apresenta pelas ondas da 105 FM (SP) o programa ‘Balanço Rap’, no ar e com audiência garantida há 9 anos, além de ter tocado em ambientes clássicos da noite black paulistana como a ‘Soweto’ (94 a 96) e o no Clube da Cidade de Diadema (99 a 00).

Em 1999 se tornou VJ do Programa ‘Yo! MTV Rap’s’ e mostrou através da TV para todo o país seu engajamento político em prol da conscientização da juventude das periferias. Envolveu-se também em projetos sociais como as Oficinas de DJ na rede CEU de São Paulo.

Conheça agora um pouco mais sobre este DJ que agitou no último dia 25 de abril a pista da boate Melt (Leblon), em uma das festas eletrônicas mais ecléticas do Rio de Janeiro – Streeet –, comandada pela Crew de DJs ‘Urcasônica Sound System’, responsável também por fazer a ponte para essa entrevista…

Rap Nacional – Você começou animando festinhas caseiras… Quando foi que você refletiu que precisava aprender a tocar em pick-ups? Para toca-los você teve algum professor?

๋•RDS mc´s ๋•

๋•RDS mc´s ๋•

๋•BUSCAR AQUI ๋•

๋•ATENÇAO ๋•

Albuns Completos Termo De Responsabilidade Todos os links e arquivos que se encontram no site ,estão hospedados na própria internet, somente indico onde se A troca de mp3 no Brasil não é crime como muitos pensam, o que é crime, é a venda de mp3 sem dar o devido direito ao autor. Apenas promovo a troca de CD´s e mp3 assim como emprestar um CD para alguém. Ao Clicar em "Prosseguir", você estará aceitando que tem total conhecimento que o site não está cometendo crime algum e qualquer desrespeito é de única e exclusiva responsabilidade sua que vier fazer mal uso dos MP3's.

๋•VISITANTES OLINE ๋•